Esteve patente na CMA, no passado dia 6 de abril, uma exposição itinerante sobre a Mulher açoriana e alguns aspetos únicos da sua emigração.

Esta atividade foi promovida no âmbito do Seminário «A emigração madeirense e açoriana para o Hawai. Contributos para o seu estudo.» e foi organizada pela Associação dos Emigrantes Açorianos com a colaboração do Museu da Emigração Açoriana e da investigadora Nisa Remígio.
A exposição, dividida em 4 temáticas, revelam histórias reais contadas na primeira pessoa que mostram ao visitante a realidade da mulher açoriana na primeira e segunda metade do século XX nos Açores e a sua posterior adaptação nos EUA e Canadá.
A exposição, bilingue, mostra o mundo novo que as mulheres encontraram nos países da emigração, um mundo tecnologicamente avançado, onde a barreira da língua foi algo muito difícil de ultrapassar, mas também o engenho e adaptação para romper tais barreiras deixaram-nos histórias incríveis da força da mulher açoriana.
O visitante poderá saber como foi o primeiro confronto com as novidades como a neve, frigorífico, televisão, ou por outro lado, histórias de como foram os primeiros trabalhos, a primeira ida às compras ou até como tentaram fazer vinho sem o devido material.
Estas histórias mostram as dificuldades, mas também a fibra da mulher açoriana no ultrapassar das suas dificuldades.

A imagem pode conter: 10 pessoas, pessoas a sorrir, interiores

A imagem pode conter: 1 pessoa, interiores